domingo, 21 de dezembro de 2008

Com Lindor, a vida é melhor

Começou em Aljustrel. Pensei logo: "tou fu* up". A ideia de faltarem ainda cerca de 3 horas fez-me desesperar cedo. Não é que não houvesse solução, que havia, mas estar a cortar o "rally" em que sempre me imagino, só para entrar numa estação de serviço, chateia-me. Vai daí disse para mim mesma que ia conseguir aguentar que nem uma mulher!
Ele foi falar com mãe, com o Ninja, cantar, gritar, insultar...tudo com vista a não me desconcentrar do objectivo, chegar à casa de Sevilha. Mas cada vez a coisa ia apertando mais e já a 50kms, tinha vontade de chorar com a bexiga mais cheia que um peixe-balão. Aguentei!
O problema foi quando tive que sair do carro. É que até então ia sentadinha. A bexiguita ia aconchegadita, mas no momento em que me levantei...AI SENHORES! Não é que a gravidade me estava a tentar sacar o pis ao seu mais alto nível?? Pois da garagem, tive que passar pelo elevador, por um corredor enorme, sacar da tarjeta, abrir a porta e aí sim...correr para a abençoada casa-de-banho. Pelo caminho consegui...não fazer tudo...só umas pinguinhas...não está mal ãh?

2 comentários:

Anabela disse...

Mijona... para a próxima antes de entrares no carro leva o arrastadeira, ou uma argália, boa?!

Cat disse...

Qdo estamos "à rasquinha" parece sempre que tudo fica mais longe do que realmente está!!! Eu normalmente também não paro mas depois acontece-me o mesmo. Mas até correu bem. Bjs